E o bom samaritano?

Em resposta, disse Jesus: “Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram deixando-o quase morto. Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote.

Quando viu o homem, passou pelo outro lado. E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado. Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele.

Aproximou-se, enfiou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele.

No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e lhe disse: ‘Cuide dele. Quando eu voltar, pagarei todas as despesas que você tiver’. “Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” “Aquele que teve misericórdia dele”, respondeu o perito na lei.

Jesus lhe disse: “Vá e faça o mesmo”.

Lucas 10:30-37

Peço permissão para falar na primeira pessoa. Eu, Sérgio Ricardo, revelado na Mensagem do profeta William Branham, faz 32 anos, crente e com temor da Bíblia, quero refletir sobre essa parábola, um pouco esquecida nos dias de hoje.

É interessante, na tradução que usei acima, Jesus responder a um perito na Lei, algumas traduções trazem: Doutor na Lei. Ambas são a mesma coisa.

O Perito na Lei era aquele que podia recitar a Torá de trás para frente e de frente para trás. Conhecia cada ponto e entrelinha da Escritura.

Tal homem tenta Jesus, fazendo-lhe uma pergunta capciosa, enganadora, sutil, com segundas intenções.   Na resposta, Jesus coloca dois personagens importantes: Um sacerdote e um Levita.

O Sacerdote era um homem voltado para as coisas concernentes aos homens, suas dores, mazelas, problemas, dificuldades, doenças, pobreza, angústias, enfim.

O Sacerdote foi o primeiro a negar ajuda ao desfalecido e atacado na beira da estrada. Possivelmente um culto de relevância, um nome de outro país estaria na congregação, o saldo bancário, são infinitas as excludentes de culpa para o sacerdote.

Em seguida um Levita. O Levita era um homem que cuidava dos afazeres da Casa de Deus. Hoje, possivelmente um assistente do pastor, um homem com agenda e preocupações mil. Passou longe de socorrer o homem caído e alquebrado, uma alma humana. Antes de chegar no Samaritano, justifico minha fala na primeira pessoa.

Eu não vivo do Evangelho, vivo para o Evangelho. Hoje sou um perito na Lei, na Lei dos homens, todavia, a Lei de Deus, está em mim. A Lei de Deus é Sua Palavra, seus ensinamentos, A REALIDADE DA MENSAGEM DO PROFETA.

Jesus foi puro amor e seus discípulos não são diferentes, não há como sê-lo. Quando o profeta ensinou que a “A FÉ PARA O RAPTO ESTÁ BASEADA NO PERDÃO”, ele enunciou a frase máxima de Jesus Cristo: “amai-vos uns aos outros”.  João 13:34-35.

Quedamo-nos em probleminhas de rapinagem, onde o egoísmo é a palavra da vez, o apego ao dinheiro é o movimentar de tudo na vida das pessoas, grupos que dizem saber mais que os outros, dinheiro, dinheiro, fama, fama, mulheres, mulheres, homens, homens, enfim. O Sacerdote e o Levita eram títulos e não eficácia de Deus.

O Samaritano era um homem de pele escura. Tratado como segunda classe, era indesejado na Sinagoga, seu dízimo não. Era proibido de frequentar certos lugares dos Judeus, mas, aquele homem tinha algo que faltou aos DOIS que deveriam tê-lo: AMOR.

O Samaritano tinha coração, não o músculo que dilata e contrai, ele possuía PIEDADE, ele viu o sofrimento de quem não tinha condições de reagir. SOCORREU-O. Ele não sabia o nome do ferido, não lhe importou a classe, untou-o com VINHO e AZEITE e CUIDOU-O.

Ora, Jesus ensinou isso. O Samaritano cedeu sua cavalgadura, levou o moribundo a uma cama limpa e aquecida, tratou-o e pagou ao dono da estalagem a conta. Disse mais: Se algo precisar, pago quando voltar. Isso é o DIFERENCIAL. ESSE É O EVANGELHO DO PROFETA DE DEUS. ESSE É JESUS CRISTO.

O Perito na Lei, Doutor na Lei, nada pôde dizer senão que o correto dos 3 foi o Samaritano. Ele teve que dizê-lo, falar.

Creio que nos falta esse olhar de Deus, sem o interesse material, sem usura, sem maledicências, sem pensar mal, pois precisamos crer e a HONRA É DE JESUS.

Andamos com a cabeça cheia de preocupações diárias, enquanto Jesus nos passa por perto a toda hora. A sensibilidade do profeta William Branham era a percepção além dos olhos naturais.

Nós vemos problemas, Jesus vê soluções. Nós vemos preconceitos, Jesus vê barreiras sendo abertas, nós queremos ser doutores na Lei, Jesus é a PRÓPRIA LEI.

Que Deus seja misericordioso e tenha compaixão de seus Filhos e possamos com essa parábola, entender que Deus está além de limites humanos, além dos meus próprios limites.

falecom@avozdedeus.org.br

- Compartilhe -

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

- Artigos Recentes -