A Igreja

Culto de Adoração | Ir. Illus Lima | 09.02.2020

Escritura Bíblica: Mateus 24, versículo 29 ao 35

“E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus. Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas. Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.”

Nós sabemos que Jesus Cristo era o próprio Deus em carne, mas Ele cria em cada Palavra que acerca Dele estava escrito, e a Sua posteridade está predestinada e preordenada para crer em cada palavra, cada promessa, em cada coisa dessa Bíblia. Nós somos esse povo. A perfeição é Cristo em nós. Nós somos o povo que temos visto a figueira brotar, temos visto o sinal do Filho do Homem, temos visto a Coluna de Fogo, temos visto o Filho do Homem pregar e fazer sinais e maravilhas, e temos visto o Filho do Homem nos nossos dias. Ele continua sendo curador, salvador, redentor, nosso pastor, nossa bandeira; Ele continua sendo todos aqueles 7 Nomes Compostos, que não são apenas nomes, mas são atributos de Deus que continuam aqui, agora.

A batalha, é porque Ele está vindo. Essa batalha que cada um de nós enfrentamos, cada prova, cada luta, cada pequeno problema que Satanás fica arrumando entre os irmãos, é por causa da vinda Dele. A vinda Dele é para todos aqueles que O buscam, e o buscam de todo coração. Essa é a batalha que enfrentamos hoje, a vinda do Senhor para as nossas vidas. Como nos preparamos para a batalha? Tomando toda a Palavra de Deus.

“Como é que podemos ver outros grandes sinais e maravilhas feitos em outros, e nós? Isto deveria causar um estado de desespero, que estamos decididos, ente Deus. Os sinais de Sua Vinda deveriam trazer toda esta congregação, quando temos lido isto da Palavra…E o Espírito Santo tem nos dito: “Vá a um certo lugar, tal e tal coisa acontecerá,” não nos diz o que era, mas aconteceria. Nós vamos ali, isso acontece daquela maneira. Os jornais anunciam isto, as revistas anunciam isto, mostram a foto disto. Voltamos aqui e vemos aqueles grandes mistérios, escondidos na Bíblia, abertos para nós, em um novo campo que nem conhecíamos antes, e harmoniza perfeitamente com a Vinda do Senhor Jesus.” (Desesperos, parágrafo 53)

Podemos falar que estamos prontos?

Cada um de nós irá responder pelo seu ministério. Se você não se desesperar, essa mensagem não cria vida em nós. A fé opera pela caridade, e para você ter fé, você tem que ter amor primeiro. Então vamos tentar viver essas coisas, vamos avaliar as nossas vidas para atrair o amor de Deus. Você tem que expressar, se você ama, expresse. Deus saiu da eternidade, quando caímos, para fazer um caminho para nos trazer de volta.

“Você quer me dizer que levantou a mão, e então não é sincero o suficiente para se pôr de pé? Que bem lhe fez o Evangelho? Oh, tal brincadeira com igreja, brincando com Deus! A hora está próxima, um destes dias uma bomba atômica atingirá aqui em algum lugar, em uma destas grandes fábricas de pólvora. Não haverá um milésimo de segundo para repensar isto. Será tarde demais então, e talvez antes da próxima Páscoa, ou até mesmo nesta Páscoa. Não quer se levantar agora, dizer: “Deus, sê misericordioso comigo, um pecador. Eu agora aceito Cristo ao oferecer-Se como propiciação pelos meus pecados. E por Sua graça, e Sua graça apenas, eu habito na Presença de Deus.” Você confessará seu erro? Aquele que encobrir seus pecados não prosperará. Aquele que confessa seu pecado, tem misericórdia. Depende de você. Ele está observando.” (A Perfeição, parágrafo 103)

Culto de Escola Dominical | Pr. João Pereira | 09.02.2020

Escritura Bíblica: Jeremias 29, versículo 10 ao 14

“Porque assim diz o SENHOR: Certamente que passados setenta anos em babilônia, vos visitarei, e cumprirei sobre vós a minha boa palavra, tornando a trazer-vos a este lugar. Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o Senhor, e farei voltar os vossos cativos e congregar-vos-ei de todas as nações, e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o Senhor, e tornarei a trazer-vos ao lugar de onde vos transportei.”

Israel depois de tanto transgredir, mostrou que ao se afastar de Deus, Deus mostrou seu amor com o Seu plano de redenção. Claro que como um Deus justo, Ele tinha que castigar e trabalhar com aqueles que transgrediam. Dentro desse plano de Redenção, há várias redenções, Deus tratando cada um a seu modo. Tudo isto é Deus cumprindo seu propósito, revelando para nós o Seu plano de redenção.  

É muito fácil as pessoas crerem num evangelho fraco. Não seja fraco ao servir a Deus, seja forte, pois Deus está olhando cada movimento seu. Deus quer que a Igreja entenda o Seu plano, e uma maneira de entender o Seu plano de redenção é ver a caminhada de Israel, saindo da terra de Jacó, indo para Egito, e voltando para a Terra Prometida.  

“Todo homem emprega força para entrar Nele” (Desesperos, parágrafo 43). 

Não é levar uma vida fácil. É dever nosso orar, não dentro de uma linha denominacional, mas devemos observar as profecias em oração, e mostrar obediência. Deus que mais obediência do que sacrifício. Não ore tocando trombeta, mas faça secretamente, e Deus te honrará. Pessoas que vivem só de emoção vão desaparecer. Você tem que ser motivado pela Palavra, pela Mensagem, essa é a nossa trajetória aqui.  

“Agora falaremos de – de  Desesperos  por  alguns  minutos  agora. Geralmente se requer um estado de  emergência  para  nos  lançar  em  desespero.  Vêem?  É pena que tenha de fazer isto. Porém os seres  humanos  são tão  indolentes  em  suas  mentes,  que  se  necessita  de  uma emergência.  Algo  surge,  e  quando  surge,  então  isto  –  isto  os  lança  naquele  desespero.  E realmente, ao  se  fazer  isso  em  desespero,  põe  para  fora  aquela  coisa  real  que  você  é.  Isto  mostra de  que  você  é  feito,  no  tempo  de  desespero.  Isto geralmente  arranca  para  fora  todas  as  boas coisas  que  estão  em  você.” (Desesperos, parágrafo 45)  

Não espere até a hora da emergência. O cristão não deve se escandalizar com momentos de emergência, mas deve amadurecer.  

“Agora,  creio  que  estamos  vivendo  nos  dias  em  que  somos…Ou,  por  outro  lado,  os  dias  em que  estamos  vivendo  deveriam  motivar  a  Igreja  a  entrar  completamente  em  desespero.  Eu  creio, desde  a  mensagem  desta  manhã  de  Deus,  não  de  mim,  eu  creio  que  ela  devia  lançar  toda  esta congregação  em  desespero,  que  temos  brincado  por  tempo  suficiente.  Temos  ido  À  igreja  por tempo  suficiente.  Temos  de  fazer  algo.” (Desesperos, parágrafo 52)  

Deus não irá promover uma luta para que você entre em desespero. Ele quer que você observe os sinais do tempo, a mensagem do Profeta, e em desespero, entre em ação!  

Culto de Santa Ceia | Pr. Sérgio Ricardo | 02.02.2020

Escritura Bíblica: João 8, versículo 1 ao 11

“Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras. E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele, e, assentando-se, os ensinava. E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando. E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes? Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra. E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra. Quando ouviram isto, redarguidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio. E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.”

A Bíblia diz no livro da lei, Levíticos 20, versículo 10, “Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera.” Aqui não cabe acusação, cabe o cumprimento imediato daquilo que foi dito. Não há como levar isso a julgamento. A lei do Velho Testamento é extremamente positiva, não havia espaço para graça e misericórdia. No entanto, quando trouxeram essa mulher perante Jesus Cristo, o autor da lei, aquele que não veio aplicar a lei, e sim para ser chicoteado, atacado, para passar necessidades, Ele viu a acusação e disse: “mas quem nunca pecou, atire a primeira pedra.” 

Nós estamos exatamente agora perante esse tribunal de Deus, onde a graça e a misericórdia Dele estão sendo estendidas para nós. E aqueles que tenham ouvido a mensagem tem o Poder Vivificador dentro deles, dentro de você. O poder do Espírito Santo é um poder vivificador, e ele está em nós.

Certa vez, alguém chegou para o Ir. Branham e disse: “Ir. Branham, como eu faço para não pensar pensamentos negativos? Como eu faço?” Então o Ir. Branham disse em parábola: “Pensamentos negativos são como pássaros voando sobre a minha cabeça, mas eu posso evitar que eles façam um ninho na minha cabeça”. Eu não posso evitar que um pensamento negativo venha a minha cabeça, aonde está a maior batalha jamais pelejada, mas eu posso evitar que o pensamento negativo crie morada.

“Eles o pegaram (pensaram que teriam que mandá-lo a um manicômio) e o questionaram. Ele declarou: “Estou tão normal em minha mente como sempre estive. Mas eu creio em Deus. Louvado seja o Senhor por me curar”, desta forma. O que era isso? Ele estava segurando naquele sexto sentido. Algo ali dentro segurando nisso. Ele não estava importando se podia ver, a visão não tinha nada a ver com isso. Ele estava vendo com outra visão. Ele viu Deus! Nós olhamos para coisas que não enxergamos. Toda a armadura cristã é por fé. Aquele que vem a Deus deve crer que Ele existe. Todos os frutos do Espírito, tudo é fé, invisível. Nós olhamos para o invisível. Olhamos para o invisível, por fé nós enxergamos. Aleluia! Um garotinho o guiou até o outro lado da rua para fazer a barba em uma barbearia. E um barbeiro espertinho quis debochar dele. Então ele ensaboou bastante seu rosto. E junto com outros barbeiros ele piscava os olhos para eles desse jeito. Ele disse… Começou a fazer a barba dele, já estava mais ou menos na metade, tinha uma toalha ali em cima, você sabe, e ele questionou: “Diga, Sr. Rhyn”. Ele respondeu: “Sim, filho”. Continuou: “Eu ouvi dizer que você foi ver o santo rolador quando ele esteve aqui”. “Sim, eu fui”, ele respondeu. Prosseguiu: “Hum, ouvi dizer que você foi curado”. Ele respondeu: “Sim, eu fui. Louvado seja o Senhor por me curar”. E quando ele disse isso, seus olhos se abriram ali na cadeira do barbeiro. Daquela cadeira, ele pulou com a toalha em volta de seu pescoço. O barbeiro correu até a porta com a navalha na mão. Rua abaixo se foi o velho Rhyn tão rápido quanto podia, gritando e exclamando: “Louvado seja o Senhor, Ele me curou”.” (Mensagem: A Fé é o Sexto Sentido, parágrafos 70 e 71)

Perdão

CHOATphotographer

Perdoai as nossas ofensas

A Oração do Senhor, também conhecida como o Pai Nosso ou pai-nosso, é a oração mais conhecida do cristianismo. Duas versões dela ocorrem no Novo Testamento: uma no Evangelho de Mateus (Mateus 6:9-13), como parte do discurso sobre a ostentação, uma seção do Sermão do Monte; e a outra no Evangelho de Lucas (Lucas 11:2-4).

“E perdoa-nos as nossas dívidas como também nós perdoamos aos nossos devedores.”

A Bíblia de Jerusalém destaca o paralelismo/correlação temática desse versículo com: Lucas 11:4, Mateus 18:21-35 e Efésios 4:32.
A Bíblia do Peregrino, que traduz essa frase como: “perdoa nossas ofensas como também nós perdoamos aos que nos ofendem”, observa que: o texto original emprega o termo “dívidas”, também empregado em Romanos 13:8 e em Mateus 18:27-34; a condição do perdão mútuo encontra precedente em Lucas 6:37. A Tradução Ecumênica da Bíblia, que traduziu essa petição como: “perdoa-nos as nossas faltas contra ti, como nós mesmos temos perdoado aos que tinham faltas contra nós”, observa que: a tradução literal seria: “perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado àqueles que nos deviam”; a dívida é uma obrigação especialmente grave no mundo antigo, tanto que podia dar causa a perda da liberdade (cf. Mateus 18:23-35); esse termo é empregado no judaísmo para designar a situação do homem diante de Deus, de quem é devedor insolvente (estado de pecador, cf. Lucas 13:2-4);quando se considera que no mundo moderno é comum a tomada de empréstimos, entendeu-se que o termo “dívida” não revelaria a gravidade da situação, e, portanto, empregou-se o termo “faltas” que representa melhor a ofensa feita pessoalmente a Deus e a situação miserável do pecar; o perdão dos pecados é a graça por excelência, pois somos incapazes de reparar nossos pecado; Jesus procura relacionar fortemente nossas obrigações perante Deus com as nossas obrigações perante nossos irmãos; essa ideia tem precedente em: essa ideia tem paralelos em Mateus 5:7, Mateus 6:14-15, Mateus 18:23-35 e Marcos 11:25-26; esse perdão aos irmãos não compra o nosso perdão perante Deus, mas revela a sinceridade de nosso pedido.

11. Agora bem, a fé está baseada no perdão. E como dissemos na pregação desta manhã, estamos procurando fazer comque a Igreja chegue ao lugar onde possamos verdadeiramente veros tempos apostólicos em nosso meio. Todos anelamos isso. E está ali à porta. O podemos ver, porém queremos vê-lo ainda em maior grau. Desejamos que seja uma torrente para que nos ajude, ou seja, fluindo de nós para ajudar a outros.

A FÉ PERFEITA
William M. Branham
25 de agosto de 1963
Jeffersonville – Indiana – E.U.A.

falecom@avozdedeus.org.br

Decreto Lei nº 181 de 24 de janeiro de 1890 (O dia que a igreja Católica deixou de reinar)

Decreto Lei nº 181 de 24 de janeiro de 1890
(O dia que a igreja Católica deixou de reinar)

Prezados irmãos, para atingir a ideia do Decreto Lei nº 181, vou colocar o relato abaixo, para melhor compreensão:

Foi o missionário Otto Nelson, em 1923. Ele residia no bairro de Bebedouro. Um dos seus filhos morreu e quando foi realizar o enterro, foram surpreendidos com a informação de que o padre católico romano não permitia que a criança fosse sepultada no cemitério local. Além de se opor ao enterro, levantou a população contra os pregadores do evangelho. Foi necessária a intervenção das autoridades para que o enterro fosse realizado. E isto só pôde acontecer à noite, sob escolta policial, pois de outra forma não poderiam enterrar o menino. (Dicionário do movimento pentecostal, 2007, p. 504). O casal Gunnar e Frida Vingren teve sim uma filha que faleceu em 23 de julho de 1932, pouco antes de eles retornarem definitivamente para a Suécia. A pequena Gunvor, com três anos e dez meses de idade, faleceu no Rio de Janeiro e foi sepultada no cemitério do Caju (veja as fotos). (Frida Vingren – biografia, 2014, p. 152, 153). Quanto ao hino 126, “Bem-aventurança do crente” ou “Bem-aventurado o que confia”, não é de autoria de Frida Vingren, muito menos houve essa história que a inspirou. A irmã Frida traduziu este hino do hinário sueco Segertoner e publicou no hinário Psaltério Pentecostal em 1931, sob o número 120, no Rio de Janeiro. Portanto, a letra e a melodia são do hinário pentecostal sueco e a irmã Frida é apenas a tradutora. (Frida Vingren – biografia, 2014, p. 140).
Retirado do Sítio:
<https://pastorsergiolourenco.blogspot.com/2017/12/a-historia-do-hino-126-da-harpa.html>

Família VINGREN

A Constituição efetivada (1824) estabelecia com clareza no art. 5o o status da religião: “A religião Católica Apostólica Romana continuará a ser a do Império. Todas as outras serão permitidas com seu culto doméstico ou particular, em casas para isto destinadas, sem forma exterior de templo. ”

O Brasil já teve 8 Constituições: 1824, 1891, 1934, 1937,1946, 1967, 1969 e 1988. Somente a de 1824 trazia a norma de que “A religião católica era oficial”, algo que significa: ao papel o que é de fato. Com a vinda de imigrantes italianos, alemães e alguns outros países, podiam se reunir para adoração, “ Sem placas de denominações, em silêncio, sem poder fazer reuniões públicas e externas”. Os crentes não PODIAM CASAR, POIS ERA LEGITIMIDADE DA IGREJA CATÓLICA O BATISMO, CASAMENTO E A CERTIDÃO DE ÓBITO.

A Constituição de 1824 ainda trazia:
Art. 15 – As outras religiões além da cristã são apenas toleradas e só lhes compete o culto doméstico.

Art. 16 – A religião Católica Apostólica Romana é a religião do Estado, e a única mantida por ele, e só a ela compete o culto externo fora das igrejas.


Com o advento da República e a derrogação da Constituição de 1824, uma das primeiras atitudes de RUI BARBOSA no dia 24 de janeiro de 1890, foi golpear a vileza do domínio eclesiástico como lemos acima. Os efeitos do Decreto lei 181 de 1890, trouxe sua elasticidade ao registro de crianças e a certidão de óbito, que saiam das mãos da Igreja e se deslocavam para as mãos do Estado.

Minha opinião de jurista:

Reconheço que a religião é um mal, modifica-se com o poder e persegue e oprimi, quando não consegue modificar o que deseja, modifica-se e junta-se ao perseguidor. A luta cristã não passa por acordos com o poder estatal como fez com Constantino em 325 d.C.
A Lei que socorre, facilmente persegue, como o ESTATUTO DA CRIANÇA E DOS ADOLECENTES, Lei 8069/90. A criança é educada no LAR, faço a diferença entre LAR e CASA. Casa é o que se transformou o reduto onde a alienação e o desrespeito a pai e mãe campeiam. A reflexão simples que faço é um homem de Deus e o povo de Deus, não possuem liames com o poder Estatal. O que aconteceu em NICÉIA em 325 d. C, foi o instante 1 do domínio litúrgico e estatal que por séculos, cercam para o domínio político e isso não é Deus.

Pr. Sérgio Ricardo (Mestre e Doutor em Direito)

falecom@avozdedeus.org.br

Culto de Escola Dominical | Pr. Lindomar Cirqueira | 08.12.2019

Escritura Bíblica: Êxodo 12, versículo 10 ao 13

“E nada dele deixareis até amanhã; mas o que dele ficar até amanhã, queimareis no fogo. Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor. E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o Senhor. E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito.”  

Aves de uma mesma plumagem se ajuntam. Você nunca se ajuntaria com alguém que não tem nada em comum com você. Você se ajunta com pessoas que tem algo em comum com você. E o que temos em comum é a Palavra de Deus. É por isso que nos ajuntamos na igreja. Tudo o que falamos está dentro de nós. Deus nos traz aqui pois “onde está o corpo se ajuntaram as águias de Deus”.

O Ir. Branham conta que gosta muito do livro de Êxodos, porque ali conta a história da Igreja. Tudo o que foi falado no Velho Testamento, Deus estava mostrando como nos posicionar para que não possamos errar o caminho, para que não possamos fazer errado como eles fizeram, e que possamos acertar como aqueles que acertaram. Ele conta a nossa história por todo o Velho Testamento. A história de Abraão, Isaque, Jacó e José mostra a caminhada da Noiva até o milênio, pois José representa o milênio.

A última praga que caiu no Egito foi a morte dos primogênitos, e a última praga que cai na Igreja é a morte, a morte espiritual. Começa um esfriamento, o avivamento passa, e você vai acostumando com aquilo. Sabemos que estamos posicionados dentro de um Éden Satânico, e o Diabo vai trazendo um esfriamento até chegar a morte. Temos que lutar. Mas o que é lutar? Lutar é resistir ao Diabo, é se posicionar.

“Quando o homem pecou e caiu, no jardim do Éden, e Deus fez uma maneira para aquele homem ser-ser salvo, Ele nunca mudou Sua maneira. Ele aceitou aquele homem baseado no Sangue derramado de um Inocente, e Ele nunca mudou isto, desde então, independente do que seja.” (Cristo É Identificado o Mesmo em Todas as Gerações, parágrafo 89)

O homem sempre quis voltar para Deus, mas Deus criou a maneira para esse homem voltar. O homem sempre quis mostrar que estava fazendo algo para Deus, mas Deus fez um caminho certo para o homem voltar.

O Ir. Branham era diferente, ele não ligava se havia alguém que discordava dele. Ele não criava inimizade por isso. Ele não criava barreiras se houvesse alguma discordância. E ele sempre conquistava as pessoas com isso, pois o Ir. Branham sabia quem ele era, e nós devemos saber quem nós somos. O Ir. Branham diz, “eu conquistei tudo com amor”. E com amor, Jesus conquistou até a morte, seu último inimigo. Jesus venceu o Diabo usando a Palavra.

“E o último inimigo que vai assolar a igreja agora é a morte, espiritualmente falando. Aqueles que não seguirem a Cristo, no – no batismo do Espírito Santo, secarão espiritualmente e morrerão, as igrejas, você pode ver isto agora. Após muitos, muitos grandes reavivamentos e evangelistas passarem pela terra, e ainda assim, a igreja está, isto é, politicamente falando da igreja, está piorando o tempo todo. Seus membros estão simplesmente vivendo do modo que querem, fazendo o que bem entendem, no entanto, chamando a si mesmos de cristãos, e dizendo estar certos.” (Redenção Pelo Poder, parágrafo 38)

Irmão, o segredo é não se afastar de Deus. Os problemas virão, mas você está predestinado a vencer. Se queremos vencer, temos que lutar. O que está faltando é todos os eleitos reconhecerem quem eles são. As promessas eram para Abraão e toda a sua semente. Deus vai nos encontrar no Seu Sangue derramado na Sua Palavra, e não em alguma religião. Você tem que entender o que a Escritura está fazendo na sua vida, e você encontra Cristo na Sua Palavra. Ele é a sua torre de controle, que te envia o que você precisa. Temos uma mensagem que mostra o que tem dentro de nós.